Clínica Hepatogastro

Cirurgia bariátrica: como funciona o pós-operatório?

Entenda como acontece o pós-operatório da cirurgia bariátrica. Confira quais são os aspectos que precisam de atenção para que o paciente se recupere bem.

A cirurgia bariátrica é uma opção de tratamento para pessoas com obesidade que não obtiveram sucesso nas terapias conservadoras. Também para aqueles que apresentam algum risco complicação de saúde em decorrência do excesso de peso corporal.

A imagem mostra um médico segurando a mão de um paciente.

Existem diferentes técnicas para realização da cirurgia bariátrica. De toda forma, a atenção com o pós-operatório é fundamental em todas elas. Isso, porque o paciente precisará de uma assistência multidisciplinar para garantir a boa recuperação dos tecidos e a sua saúde e equilíbrio orgânicos.

O pós-operatório da cirurgia bariátrica envolve aspectos alimentares, nutricionais e psicológicos para garantir a boa recuperação e perda adequada de peso do paciente.

Preparamos este artigo para que você compreenda melhor como funciona esse pós-operatório, então, continue lendo para conferir:

Como é feita a cirurgia bariátrica?

A bariátrica é uma técnica cirúrgica que deve ser realizada em ambiente hospitalar com o paciente sob anestesia geral. Ela pode ser feita com o objetivo de remover uma parte do estômago (gastrectomia) para reduzir a quantidade de alimentos que ele armazena.

Também podem ser realizadas outras técnicas, como um pequeno desvio do intestino, para promover alterações metabólicas. Elas, associadas com a redução do volume estomacal, ajudam a trazer sensação de saciedade e reduzir a fome.

Muitas pessoas veem na cirurgia bariátrica uma forma mais prática de fazer o controle do peso corporal. É verdade que essa técnica é bastante eficiente para o tratamento da obesidade, mas não são todos os pacientes que logo de início têm indicação para realização dela.

O tratamento da obesidade, no início, é feito de forma conservadora por meio da adequação alimentar, da prática de exercícios físicos, do acompanhamento psicológico, entre outros que contribuem para melhorar a relação da pessoa com a alimentação.

Entretanto, existem casos em que se faz necessário realmente recorrer à cirurgia bariátrica, e não existe um peso corporal específico que determine quando é necessário recorrer a esse procedimento. No entanto, é estipulado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que sejam tratados pacientes com IMC acima de 35 kg/m² ou com IMC maior que 40 kg/m².

No primeiro caso estão inclusos os pacientes que, além da obesidade, apresentam problemas e doenças associadas, como diabetes, colesterol muito alto, hipertensão arterial, apneia do sono e problemas articulares, entre outros.

Já no segundo caso, a cirurgia bariátrica tem indicação para os pacientes que não obtiveram sucesso na perda de peso depois de realizar tratamento conservador.

Além disso, a cirurgia bariátrica não tem foco apenas na redução do peso corporal. Ela também pode ser adotada para o controle ou a cura de doenças que estão relacionadas com excesso de peso, como as quais citamos.

Tipos de bariátrica

Existem diferentes tipos de bariátrica, sendo que as variações ocorrem em decorrência do modo como a técnica é aplicada e o mecanismo de funcionamento da cirurgia.

Além disso, o tratamento pode ser realizado por meio da técnica aberta, por videolaparoscopia e por cirurgia robótica. Existem estudos conduzidos para a realização desse procedimento por via endoscópica também. A seguir você confere os três diferentes tipos de cirurgia bariátrica e como são realizados.

Restritiva

As cirurgias bariátricas do tipo restritiva são aquelas que reduzem a capacidade do estômago armazenar alimentos. A pessoa sente saciedade precocemente. A gastrectomia vertical a cirurgia restritiva atualmente mais realizada.

Disabsortiva

As técnicas de cirurgia bariátrica disabsortivas são aquelas que não fazem grandes alterações no tamanho e na capacidade de armazenagem do estômago. No entanto, há uma grande alteração na absorção dos alimentos no intestino delgado.

Mista

As técnicas mistas, por sua vez, são aquelas mais realizadas atualmente, tanto no Brasil quanto no mundo. Isso porque restringem a quantidade de alimento armazenada pelo estômago, e também é realizado um pequeno desvio do intestino. Assim, a manutenção do peso perdido em longo prazo é mais eficiente. A técnica do bypass gástrico é a cirurgia mais realizada dentre as cirurgias mistas.

Como funciona o pós-operatório da bariátrica?

O pós-operatório da cirurgia bariátrica envolve diferentes aspectos, uma vez que o paciente precisará tomar os devidos cuidados para garantir a boa cicatrização dos tecidos. Também é necessário fazer adequações alimentares por causa da sua nova condição orgânica.

Entretanto, ainda é preciso continuar garantindo ao organismo todos os nutrientes que ele necessita, logo, o suporte nutricional é indispensável. Tudo isso impacta significativamente o estado psicológico e a autoimagem, sendo, portanto, que o acompanhamento nesse sentido também é fundamental.

A seguir falamos um pouco mais sobre cada um desses aspectos para que você compreenda como funciona esse pós-operatório.

Alimentação

Um dos principais cuidados no pós-operatório da cirurgia bariátrica é com relação à alimentação que o paciente vai ingerir. De imediato, ele começará a receber líquidos entre as primeiras 12 horas ou 24 horas após a realização da cirurgia.

Depois disso, os primeiros dias são voltados para a recuperação do organismo. Assim, é adotada inicialmente uma dieta líquida e pausada, para que não haja uma força excessiva nas linhas de sutura.

O paciente vai ingerir pequenos volumes para que o seu organismo se adapte as novas condições, para garantir o repouso gástrico e manter o corpo hidratado. São recomendados, nesse momento, água, água de coco, caldos de carne ou verduras e sucos não ácidos.

Depois de alguns dias de cirurgia, o paciente poderá começar a receber uma alimentação pastosa. A evolução da dieta é feita conforme a adaptação de cada paciente. É preciso verificar a ocorrência de dor, náuseas e vômitos para garantir que o paciente está recebendo a alimentação mais adequada.

Nutrição

Após a cirurgia bariátrica, a absorção de nutrientes pelo organismo passa por algumas mudanças. Além disso, a quantidade de comida que será ingerida é menor, portanto, o corpo não receberá todos os nutrientes que necessita. Sendo assim, o pós-operatório também envolve a suplementação nutricional.

Ela acontece por volta da terceira ou quarta semana após a cirurgia, sendo indicado um complexo vitamínico, inclusive das vitaminas do tipo B. No caso das mulheres, também pode ser adicionada a suplementação de vitamina D e cálcio. O apoio de um nutricionista é importante na avaliação inicial e preparo para cirurgia, orientação e adaptações da dieta, bem como no acompanhamento de longo prazo para evitar deficits alimentares, de vitaminas, cálcio e outros nutrientes.

Atividades

Após a bariátrica não é recomendado que o paciente permaneça em repouso total. Mesmo ainda no hospital, é indicado que ele prefira a poltrona em vez da cama, e que também faça caminhadas progressivamente, de forma bem orientada e supervisionada. Com isso, evitamos problemas respiratórios e ajudamos o corpo a se adequar a sua nova condição.

Suporte psicológico

A cirurgia bariátrica promove uma grande mudança na vida da pessoa, por isso, é importante fazer o acompanhamento psicológico depois de se submeter a essa técnica. Haverá uma nova forma de se alimentar, a perda de peso será rápida, o corpo modificará bastante, entre outros aspectos que podem abalar o emocional.

O suporte psicológico ajuda o paciente a enfrentar possíveis dificuldades e inseguranças que esteja sentindo. Também oferece suporte no enfrentamento da ansiedade, de possíveis compulsões alimentares, depressão, ou qualquer outro quadro que venha se manifestar, ou exista o risco de acontecer.

Quais são os riscos da cirurgia bariátrica?

Como outros procedimentos e tratamentos médicos, a cirurgia bariátrica também apresenta seus riscos, e um deles está relacionado com a aceleração do trânsito dos alimentos do estômago para o intestino nas primeiras semanas do pós-cirúrgico. Com isso, pode ocorrer diarreia, queda de pressão, fraqueza, cefaleia, sudorese e taquicardia.

Se não for feita a suplementação adequada, o paciente também pode apresentar desnutrição; e ainda, há os riscos que são comuns para todos os procedimentos cirúrgicos, como sangramentos, inflamações ou infecções. Mas eles podem ser controlados seguindo adequadamente as instruções do especialista.

É importante lembrar que por que o peso corporal diminui muito rápido o paciente também apresentará flacidez, que ocorre devido ao excesso de pele. Logo, é importante o acompanhamento psicológico para estar ciente do que vai acontecer, a fim de evitar problemas com a autoestima. A avaliação com um cirurgião plástico é fundamental para definir as intervenções que serão feitas.

O sucesso da cirurgia bariátrica depende bastante dos cuidados adotados no pós-operatório, portanto, seguir as recomendações da equipe multidisciplinar é fundamental. Além disso, a manutenção do Peso depende bastante da dedicação do paciente. Sendo assim, ele precisa se comprometer com o seu tratamento para que não volte a ganhar peso.

O que achou do post de hoje? Deixe sua opinião nos comentários!

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 28 / 04 / 21
A presença da Helicobacter pylori no organismo pode ser identificada por meio de diferentes técnicas. Conheça algumas delas e como são feitas.
Ler Mais
 | 14 / 04 / 21
Aprenda um pouco mais sobre a gastrite. Confira quais são os sintomas que essa inflamação estomacal provoca e descubra como ele é tratada.
Ler Mais
1 2 3 5
Clínica Hepatogastro
Redes Sociais
Av. Presidente Juscelino
Kubitschek, 1545 conj. 31
Itaim – São Paulo/SP
(11) 3437-3228
Rua José Janarelli, 199
conj 105 – Morumbi-SP
(11) 3721-1300
Atenção: O site  www.hepatogastro.com.br  é um espaço que visa melhorar o acesso dos pacientes a informações importantes sobre saúde. Não deve ser utilizado como um substituto de uma avaliação completa, durante consulta médica.

Clínica Hepatogastro© 2021 Direitos Reservados – Desenvolvido em WordPress por SuryaMKT

Última atualização: 04/08/2021 às 15:19
Top