Dr. Paolo Rogério de Oliveira Salvalaggio
 Cv Lattes   Google Scholar
Atualizado em 28/09/2020

Cirurgia Bariátrica

A cirurgia bariátrica, também conhecida como cirurgia da obesidade, ou redução de estômago, reúne técnicas comprovadas destinadas ao tratamento da obesidade. 

Indicação da Cirurgia Bariátrica

Para a realização da cirurgia bariátrica, o índice de massa corpórea (IMC) do paciente deve ser igual ou acima de 40. Aqueles com IMC acima de 35 podem ser candidatos a cirurgia a depender de doenças causadas pela obesidade (existem mais de 30 doenças reconhecidas como ligadas a obesidade. Pacientes diabéticos com IMC maior que 30 podem também se beneficiar da cirurgia. A cirurgia pode ser feita também por pessoas que apresentam um histórico de dificuldade para perda de peso, mesmo com exercícios, dietas e remédios.

 

Tipos de Cirurgia Bariátrica

Além do balão gástrico, que não é considerado cirúrgico, existem quatro tipos de cirurgias bariátricas, sendo eles:

  • Bypass gástrico;
  • Gastrectomia vertical;
  • Derivação Bileopancreática;

Na imagem vemos os tipos de Cirurgia Bariátrica

Bypass Gástrico

O Bypass é um tipo de cirurgia invasiva, onde o médico retira uma grande parte do estômago, ligando o início do intestino à porção restante do estômago do paciente, para diminuir o espaço disponível, e controlar o excesso de comida.

Gastrectomia Vertical

Quando é realizada, ao contrário do bypass gástrico, a gastrectomia vertical (ou cirurgia de sleeve), mantém a ligação natural do estômago ao intestino, e remove apenas uma parte dele, para o tornar menor.

Derivação Bileopancreática

ste é um tipo de cirurgia que consiste na retirada do estômago, e da maior parte do intestino delgado, onde ocorre a absorção de nutrientes. Assim, uma grande parte dos alimentos não é digerida ou absorvida.

Quais as Chances de Infecção?

Durante a cirurgia, o estômago é diminuído, grampeado e costurado e, se houver o rompimento desses grampos, pode ocorrer um vazamento (fístula) de secreção gástrica e alimento para dentro da barriga, se estendendo para a pele, levando a uma infecção.

A incidência desse tipo de complicação é muito pequena, menor que 1%. Os sinais diretos, caso isso ocorra, são:

  • Coração acelerado;
  • Febre;
  • Diminuição da urina;
  • Pressão baixa;
  • Respiração ofegante.
  • Fortes dores abdominais, podendo irradiar nas costas ou região pélvica.

Outras Possíveis Complicações

Os riscos da cirurgia bariátrica estão ligados principalmente à quantidade e gravidade de doenças associadas à obesidade, sendo as principais complicações:

  • Embolia pulmonar (entupimento de um vaso sanguíneo do pulmão);
  • Dor intensa e dificuldade para respirar;
  • Sangramento interno no local da operação;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Fezes com sangue.

Normalmente essas complicações surgem ainda durante o período de internamento hospitalar, e são rapidamente resolvidas pela equipe médica. No entanto, dependendo da gravidade dos sintomas, pode ser indicado ao paciente que ele faça uma nova operação para corrigir o problema.

Além disso, é comum que após a cirurgia bariátrica os pacientes apresentem complicações nutricionais como anemia, deficiência de ácido fólico, cálcio e vitamina B12, podendo ocorrer também desnutrição nos casos mais graves.

× Agendar Consulta.