Dr. Paolo Rogério de Oliveira Salvalaggio
 Cv Lattes   Google Scholar
Atualizado em 02/09/2020

O pré-operatório da cirurgia de refluxo gastroesofágico: como funciona?

O refluxo gastroesofágico tem como primeira opção de tratamento as técnicas conservadoras, que podem ser, por exemplo, a adequação da alimentação, de alguns hábitos, bem como a administração de medicamentos.

No entanto, alguns indivíduos não respondem muito bem a essas terapias. Em outros casos, as ocorrências do refluxo são muito constantes, os sintomas afetam a qualidade de vida, não se consegue ficar sem e/ou existem problemas com a medicação ou existe um risco de complicações. Nessas situações é recomendado a realização da cirurgia de refluxo gastroesofágico.

Como acontece com os demais procedimentos cirúrgicos, é preciso um preparo prévio do paciente para garantir que tudo correrá bem durante a cirurgia e no pós-operatório. Neste artigo apresentamos quais são as recomendações e medidas adotadas no pré-operatório para garantir o sucesso do tratamento. Continue lendo e veja quais são.

Exames pré-operatórios

Assim que definida a necessidade de realização da cirurgia de refluxo gastroesofágico, o paciente precisará realizar uma série de exames para que o médico possa conhecer suas condições clínicas e verificar se de fato é um bom candidato para o procedimento.

Essa análise preliminar envolve exames gerais e também alguns específicos para pacientes com esse tipo de problema. Veja mais a seguir.

Exames gerais para cirurgia de refluxo gastroesofágico

Os exames gerais são aqueles solicitados para todo paciente que será submetido a uma cirurgia. O objetivo é conhecer as condições cardiológicas, clínicas e prever possíveis reações à anestesia. Para isso são solicitados pelo menos:

  • hemograma;
  • creatinina;
  • glicemia em jejum;
  • eletrocardiograma;

Exames específicos para cirurgia de refluxo gastroesofágico 

Os exames citados anteriormente são básicos, mas quem fará a cirurgia do refluxo gastroesofágico precisa realizar alguns específicos de refluxo e outros dependentes de suas condições de saúde e do risco a anestesia. O objetivo é verificar se o refluxo já provocou alguma complicação, conferir a associação entre os sintomas e o problema em si e investigar possíveis doenças que tenham provocado o refluxo.

Confira algumas técnicas que podem ser solicitadas pelo médico.

Endoscopia digestiva

Com auxílio de uma pequena câmera introduzida pela boca é feita a investigação do sistema digestivo (esôfago, estômago e duodeno). Além de verificar os danos provocados pelo refluxo, a endoscopia permite investigar doenças e a necessidade de realização de novos exames complementares.

Manometria esofágica

Com essa técnica é possível observar as contrações do esôfago, que são os movimentos que ele realiza para levar o alimento até o estômago. O objetivo é analisar se a musculatura está trabalhando de forma equilibrada e em conjunto, para descartar qualquer outra doença esofágica que possa estar provocando o refluxo.

Radiografia contrastada de esôfago, estomago e duodeno (também conhecido como seriografia)

Possibilita analisar a anatomia do paciente para investigação, principalmente, de uma possível hérnia de hiato. Consegue-se uma análise mais precisa da sua configuração anatômica, localização e do tamanho da hérnia de hiato, bem como da posição do esôfago e do estomago.

Teste pHmetria de 24-horas do esôfago

Nesse exame são investigados e registrados os episódios de refluxo ácido apresentados pelo paciente, bem como a verificação se o refluxo em si tem relação com sintomas, em qual intensidade, frequência, horário e posição.

Preparo geral para cirurgia de refluxo gastroesofágico

Além da realização dos exames gerais e alguns específicos definidos como necessários pelo especialista, é preciso outros preparos antes da cirurgia de refluxo gastroesofágico. Um deles é a realização do jejum de no mínimo 8 horas, tanto para alimentos sólidos quanto líquidos, incluindo água.

O paciente também receberá instruções a respeito das medicações que costuma utilizar, em especial quando elas contêm substâncias anticoagulantes. No caso dos fumantes, é recomendada abstenção ou pelo menos a redução do consumo de tabaco, para evitar complicações no pós-operatório e favorecer a oxigenação dos tecidos e sua cicatrização.

O paciente também será instruindo a evitar alguns alimentos que possam provocar irritação gástrica, como café e bebidas alcoólicas. O intuito é evitar possíveis gastrites e úlceras antes da cirurgia.

A higiene pessoal rigorosa é muito importante, principalmente nas dobras de pele e no umbigo, por que podem ser colonizados por fungos e levar à manifestação de dermatites. Manter hábitos saudáveis e evitar o sedentarismo também favorece a recuperação.

Cada paciente poderá receber instruções específicas no pré-operatório da cirurgia de refluxo gastroesofágico conforme suas necessidades e condições clínicas. É fundamental seguir todas as recomendações do médico para garantir o sucesso do procedimento, favorecer a recuperação e evitar complicações no pós-operatório.

× Agendar Consulta.