Clínica Hepatogastro

Hepatite B: conheça os sintomas e saiba como tratar a doença

Atualizado em 18/08/2021
Tempo de leitura: 4 min.

A hepatite B é uma inflamação causada pela infecção pelo vírus da hepatite B (VHB). Essa doença acomete principalmente as células do fígado conhecidas como hepatócitos, que podem sofrer a ação direta do vírus ou então das células do sistema imunológico, que tentam defender o corpo do agente patógeno. 

Hepatite B Conheca Os Sintomas E Saiba Como Tratar A Doenca Hepatogastro Bg
Hepatite B: Conheça Os Sintomas E Saiba Como Tratar A Doença 2

Existem diferentes tipos de hepatite, uma delas é a hepatite B. Consiste em um processo inflamatório que acomete o fígado. Essa doença precisa de tratamento porque, com o passar do tempo, pode acontecer uma deterioração do fígado levando à insuficiência hepática crônica. 

Considerada como uma doença sexualmente transmissível, a hepatite pode ser transmitida também pelo compartilhamento de objetos que têm contato com o sangue, como agulhas e lâminas de barbear. Além disso, em muitos casos ela costuma ser silenciosa, o que dificulta o tratamento e leva aos quadros de hepatite B crônica.

  • Como funciona um transplante de fígado e quando é indicado? Clique aqui e saiba mais!
  • Preparamos este artigo para que você entenda um pouco mais sobre essa inflamação hepática, conferindo de que maneira ela é contraída, quais são os sintomas da hepatite B e formas de tratamento. Acompanhe!

    • O que causa hepatite B?
    • Quais são os sintomas da hepatite B?
    • Como a hepatite B é contraída?
    • A hepatite B tem cura?

    O que causa hepatite B?

    A hepatite B é uma doença hepática provocada por um agente patógeno, o vírus chamado de Vírus de Hepatite B (VHB). Ele tem o potencial de invadir principalmente as células que compõem os tecidos do fígado, provocando agressões nelas e interferindo no funcionamento normal do órgão. 

    No entanto, o próprio organismo, na tentativa de conter essa infecção, pode acabar prejudicando o fígado. Quando o sistema imunológico entra em ação ele provoca algumas agressões às células hepáticas, com isso, ocorre o processo inflamatório. 

    Podemos classificar a hepatite B de diferentes formas de acordo com a maneira como se manifesta. Existem os quadros de hepatite B aguda, hepatite B crônica e hepatite B fulminante. A última manifestação da doença é mais rara, mas pode ser fatal para quem a desenvolve.

    Mais uma característica dessa doença é que ela favorece os quadros de hepatite D. Essa doença é considerada como uma infecção grave, contraída apenas pelas pessoas que já têm o vírus VHB em seu organismo. Porém, para desenvolver a hepatite D o indivíduo precisa ter contato com o sangue de uma pessoa infectada.

    Quais são os sintomas da hepatite B?

    Não são todas as pessoas que contraem o VHB que desenvolvem sintomas. Em alguns casos o quadro é assintomático, podendo perdurar dessa maneira por vários anos. Em outros, os sintomas são tão amenos que não provocam grande preocupação ou alarde no paciente. 

    De toda forma, existem manifestações que são características da hepatite B e que ajudam no prognóstico e no diagnóstico da doença. Esses sintomas incluem:

    • febre;
    • fadiga;
    • náuseas;
    • vômitos;
    • mal-estar;
    • fezes claras;
    • perda de apetite;
    • dor abdominal;
    • amarelamento da pele e dos olhos;
    • escurecimento da urina. 

    Porém, apenas os sintomas da hepatite B não são suficientes para obter um diagnóstico preciso. O médico solicitará exames de sangue, realizará a análise clínica e, dependendo do quadro da pessoa, também solicitará uma biópsia do fígado.

    Como a hepatite B é contraída?

    O vírus da hepatite B pode permanecer incubado por cerca de 1 a 4 meses. Além disso, ele consegue sobreviver fora do corpo humano se mantendo ativo durante vários dias

    O contágio pode se dar entre indivíduos, pelo contato com alguns fluidos corporais e pelo compartilhamento de objetos que tenham contato com esses mesmos fluidos. Assim, a contaminação ocorre por meio da saliva, do sangue, sêmen e de secreções vaginais de pessoas portadoras da doença. 

    Portanto, é possível contrair a hepatite B por meio de relações sexuais desprotegidas. Isso classifica a hepatite B como uma Doença Sexualmente Transmissível (DST). As concentrações do vírus são bastante altas nas secreções dos órgãos genitais. 

    Por esse mesmo motivo, a mãe pode transmitir a doença para o bebê. Isso acontece ainda durante a gravidez, no momento do parto ou até mesmo após ele. Daí a importância de fazer uma investigação na saúde da mulher gestante. 

    O uso de drogas injetáveis, as transfusões de sangue que não seguem protocolos sanitários, o compartilhamento de alicates para cutícula, lâminas de barbear e qualquer outro objeto que tenha contato com sangue são outras formas de contrair a hepatite B. 

    Como o vírus também está presente na saliva, é importante evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoal, como talheres e copos. E ainda, é preferível não dividir alimentos ou comer no mesmo prato que outras pessoas.

    A hepatite B tem cura?

    É importante ressaltar que o organismo humano pode, por sua própria conta, combater a infecção da hepatite B. Isso porque ela é provocada por um vírus, como os quadros de gripe e resfriado, assim, o sistema imunológico consegue desenvolver defesas e conter a doença

    Isso acontece na metade dos casos, com uma cura espontânea e definitiva sem a necessidade de tratamentos. Porém, em cerca de 25% dos pacientes o vírus continua no organismo, desencadeando o quadro de hepatite B crônica

    Esse quadro não está relacionado apenas com a replicação do vírus; também pode ser em função da resposta imunológica, à infecção por outros vírus e o consumo de bebidas alcoólicas

    Na maioria das vezes esses pacientes permanecem sem sintomas durante vários anos e buscam ajuda médica apenas quando as agressões ao fígado já começam a manifestar sinais de insuficiência hepática. Isso é preocupante porque a infecção crônica favorece os quadros de cirrose e câncer de fígado.

    Quando o paciente procura ajuda médica ele recebe a indicação de medicamentos antivirais que vão controlar os sintomas e evitar as agressões ao fígado. Porém, essas terapias nem sempre são suficientes para curar a doença.

    Vale lembrar que no Brasil temos disponíveis as doses da vacina contra a hepatite B, o que continua sendo a principal forma de fazer a prevenção dessa infecção hepática.

    A hepatite B pode ser uma doença sem grandes complicações para o organismo, mas existe o risco de se tornar um quadro crônico, levar à insuficiência hepática, à cirrose e ao câncer. Então, o ideal é tomar as vacinas para se prevenir e buscar ajuda médica caso perceba sintomas ou tenha dúvidas. 

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

     | 28 / 09 / 21
    Após receber uma indicação médica de Transplante de Fígado, é necessário realizar uma série de exames e acompanhamento psicossocial, você sabia? Venha conferir!
    Ler Mais
     | 21 / 09 / 21
    Você sabe como funciona a lista do transplante de fígado? Descubra como ela é organizada, onde existem centros transplantadores e qual a diferença entre eles.
    Ler Mais
    1 2 3 29
    Clínica Hepatogastro
    Redes Sociais
    Av. Presidente Juscelino
    Kubitschek, 1545 conj. 31
    Itaim – São Paulo/SP
    (11) 3437-3228
    Rua José Janarelli, 199
    conj 105 – Morumbi-SP
    (11) 3721-1300
    Atenção: O site  www.hepatogastro.com.br  é um espaço que visa melhorar o acesso dos pacientes a informações importantes sobre saúde. Não deve ser utilizado como um substituto de uma avaliação completa, durante consulta médica.

    Clínica Hepatogastro© 2021 Direitos Reservados – Desenvolvido em WordPress por SuryaMKT

    Última atualização: 28/09/2021 às 09:15