Clínica Hepatogastro

Câncer de Intestino: como tratar?

Atualizado em 02/02/2022
Tempo de leitura: 4 min.
Por Dr. Paolo Rogério de Oliveira Salvalaggio
 | 
02/02/22

O câncer de intestino é uma doença silenciosa e pode acometer o cólon e o reto. Seu tratamento pode envolver medicamentos, cirurgia, quimioterapia e radioterapia. No Brasil, é o terceiro tipo de câncer mais frequente em homens e o segundo entre as mulheres.

Cancer De Intestino Como Tratar Hepatogastro Bg
Câncer De Intestino: Como Tratar? 2

Também conhecido como câncer colorretal, o câncer de intestino abrange tumores que iniciam na parte do intestino grosso que é chamada de cólon, no reto, na parte final do intestino, e no ânus. 

Na maioria dos casos, é tratável e curável se for diagnosticado precocemente e se não tiver se espalhado para os demais órgãos do corpo. A maioria destes tumores surgem a partir de lesões benignas, chamadas de pólipos, que surgem na parede do intestino grosso.

Confira tudo sobre o câncer de intestino, seu tratamento e diagnóstico no texto abaixo!

Sinais e Sintomas do Câncer de Intestino

Há duas maneiras do câncer colorretal se desenvolver. A primeira é quando surgem pólipos, crescimento anormal de células nas mucosas do intestino, mas que ainda não são consideradas câncer.

O período de transformação dos pólipos em um tumor maligno demora, em média, 10 anos. 

A segunda forma é quando o intestino é afetado diretamente pelo câncer. Nesse caso, o organismo pula a etapa de formação de pólipos. 

Por ser uma doença silenciosa, quando os primeiros sintomas começam a se manifestar, o câncer já apresenta um quadro avançado da doença. Os sinais mais frequentes do câncer de intestino são:

  • Sangue nas fezes;
  • Diarreia e prisão de ventre alternadas ou mudança de hábito intestinal;
  • Sensação que o intestino não esvazia completamente;
  • Dor ou desconforto abdominal;
  • Fraqueza e anemia;
  • Perda de peso sem motivo aparente.

Diagnóstico do Câncer Colorretal

O câncer colorretal apresenta sintomas comuns, que também estão presentes em doenças e outros problemas, como hemorroidas, verminose, úlceras gástricas, síndrome do intestino irritável ou intolerâncias alimentares.

Por isso, para fazer o diagnóstico, o médico irá avaliar todos os sintomas e fazer o exame clínico, incluindo o toque retal. Também será considerado o histórico familiar do paciente. 

Os principais exames diagnósticos que podem confirmar o câncer de intestino são:

  • Exame de fezes: ajuda a identificar as bactérias responsáveis pela alteração do trânsito intestinal e também se há presença de sangue oculto;
  • Colonoscopia: é utilizada para examinar o cólon por dentro, as paredes do intestino e o reto;
  • Radiografia com contraste: para poder deixar as paredes do intestino visíveis, permitindo que qualquer anormalidade seja mostrada;
  • Tomografia computadorizada: quando não há a possibilidade de fazer a colonoscopia, em casos de dificuldades respiratórias ou alterações de coagulação, por exemplo, a tomografia computadorizada pode ajudar.

Antes de solicitar os exames, porém, o profissional deve solicitar algumas mudanças no estilo de vida e dieta do paciente, descartando, assim, sintomas por outros tipos de síndromes, alergias ou irritações.

Tratamento para o Câncer de Intestino

Ao confirmar o diagnóstico da doença, ela será classificada dentro de uma tabela de quatro estádios. O tipo de tratamento será baseado no estágio em que o câncer se encontra.

  • Estádio 1: o tumor está confinado à mucosa que é a parte mais interna no intestino . Nessa fase, as chances de cura são altas e a indicação de tratamento é cirurgia, com chances de cura de quase 100%.
  • Estádio 2: os tumores desse estágio podem estar confinados às membranas que revestem o cólon ou o reto ou invadem os órgãos vizinhos. O tratamento dessa fase inclui a combinação de cirurgia e quimioterapia. As chances de cura são de 90%.
  • Estádio 3: nessa fase, o câncer já afeta os linfonodos, ou gânglios linfáticos, que são estruturas mais profundas no nosso organismo. O tratamento para essa fase inclui cirurgia e quimioterapia. Apresenta 85% de chance de cura.
  • Estádio 4: esse é o estágio mais avançado do câncer de intestino. Nessa fase, a doença está em metástase pelos órgãos distantes, como pulmão, fígado ou ossos. São indicadas cirurgias das metástases e quimioterapia. Nessa fase, 20-30% dos pacientes se curam. 

Radioterapia pode ser utilizada dependendo da localização, estadiamento e apresentação dos sintomas nos estádios 2, 3 e 4.

Fatores de Risco e Prevenção ao Câncer de Intestino

Independente de ter sintomas do câncer colorretal, é importante manter exames e consultas anuais atualizadas com um profissional da saúde. 

Para as pessoas acima de 50 anos, independente do sexo, são recomendados exames preventivos anuais para esse tipo de doença. 

Os principais fatores de risco relacionados ao câncer de intestino são:

  • Idade superior aos 50 anos;
  • Excesso de peso corporal;
  • Alimentação não saudável, pobre em vegetais, frutas e fibras;
  • Consumo excessivo de carne vermelha;
  • Histórico familiar de câncer de intestino;
  • Nas mulheres, histórico familiar ou pessoal de câncer de ovário, útero ou de mamas;
  • Tabagismo;
  • Consumo exagerado de bebida alcoólica;
  • Doenças inflamatórias do intestino, como retocolite ulcerativa crônica e doença de Crohn;
  • Doenças hereditárias, como polipose adenomatosa familiar;
  • Exposição à radiação ionizante.

Como Prevenir o Câncer de Intestino?

Além da prevenção clínica com exames e acompanhamento médico, é importante manter uma rotina saudável para que o intestino funcione da melhor maneira e evite problemas. Alguns hábitos que podem ser incluídos no dia a dia são:

  • Dieta rica em fibras: As fibras dos cereais e vegetais ajudam o trânsito intestinal e agridem menos as mucosas do intestino.
  • Atividade física regular: Os exercícios físicos diminuem a resistência à insulina e liberam endorfina, hormônio que fortalece o sistema imunológico. 
  • Dieta com variedade de frutas e vegetais: Quanto mais frutas e verduras existirem na dieta, maior a ingesta de fibras, menor a chance de consumo de gorduras e carnes processadas, que aumentam o risco do câncer colorretal.
  • Manter níveis de vitamina D adequados: a vitamina D diminui as inflamações do corpo e pode ajudar na prevenção contra o câncer de intestino.

Se você está com algum sintoma do câncer de intestino, não deixe de procurar um médico e jamais se automedique. Não esqueça de compartilhar essas dicas com seus amigos e familiares para que todos possam se prevenir contra o câncer de intestino!

Sobre o(a) Autor(a)
O Dr. Paolo Rogério de Oliveira Salvalaggio é Mestre e Doutor em Cirurgia. Pós-doutorado e Fellow nos Estados Unidos. Especialista em Cirurgia Digestiva e Videocirurgia. Atua como cirurgião do aparelho digestivo, com ênfase em cirurgia de fígado, pâncreas e vias biliares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 | 04 / 05 / 22
O câncer de intestino ou colorretal é uma doença que afeta o intestino grosso, reto e ânus e que pode ser evitado precocemente. Entenda melhor!  
Ler Mais
 | 08 / 12 / 21
A colonoscopia é indicada para diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças que acometem o intestino grosso e o reto. Saiba mais sobre o exame aqui!
Ler Mais
1 2 3 9

Clínica Hepatogastro© 2022 Direitos Reservados – Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Última atualização: 24/05/2022 às 18:15
Agende sua Consulta
magnifiercross