Vivendo com Hepatite autoimune

Por Dra Nathalia Mota de Faria Gomes
Sumário

A hepatite autoimune é uma doença crônica, que permanece por anos na vida da pessoa, e a maior dúvida dos pacientes, após o diagnóstico, é como será a vida com essa doença.

Neste post, iremos explicar o que pode mudar na vida de um paciente diagnosticado com hepatite autoimune. Continue lendo para entender melhor.

Como é a vida com Hepatite Autoimune?

Considerando que a grande maioria dos pacientes que têm hepatite autoimune, são mulheres jovens, essa é uma pergunta extremamente presente e relevante no consultório, no dia a dia de um hepatologista, e deve ser uma dúvida que fica na cabeça de todos os pacientes quando recebem esse diagnóstico de forma inicial. Perguntas como "o que vai ser da minha vida?" "quanto tempo vou ter que tomar esse remédio?" "o que posso e o que não posso fazer?", são questionamentos naturais quando se recebe um diagnóstico de uma doença crônica, que é uma doença que vai perdurar por muitos e muitos anos.

É importante saber que isso não é um bicho de 7 cabeças, apesar das adolescentes ficarem mais preocupadas, não só em relação ao seu convívio social mas em relação a tudo na vida delas, como carreira profissional, gestação e tudo mais, tudo isso pode ser controlado se o diagnóstico for precoce.

Eu tenho muitas pacientes, inclusive, duas atualmente, que tiveram seus nenéns e continuam em acompanhamento comigo, e não foi nenhum problema, a gestação se deu de forma extremamente tranquila.

A realidade da vida pós diagnóstico

A única coisa que vai mudar na sua rotina, é que você vai ter que colocar um despertador para lembrar de tomar a sua medicação todo dia, e que você vai ter que passar em consulta com o hepatologista de tempos em tempos, de 3 em 3 meses, de 4 em 4 meses, a sua rotina não muda. Uma vez que a doença é controlada com a medicação, a sua vida fica absolutamente normal, você vai poder estudar, fazer faculdade, viajar, sair com os seus amigos, e isso não vai ter nenhum impacto na sua vida, a não ser que você não tome a medicação.

A medicação

As medicações sim, apresentam alguns efeitos colaterais, que a gente tenta minimizar com a redução progressiva da dose, até o quanto é possível diminuir. Mas, é sempre importante a gente ressaltar, que no momento que a gente decide colocar uma nova medicação, seja qual for a doença, a gente sempre coloca na balança do custo benefício, se essa medicação vai fazer mais mal ou vai fazer mais bem, e na hepatite autoimune ela sempre vai fazer mais bem, porque os efeitos colaterais são sempre muito pequenos e pouco prevalentes, com o impacto que a medicação faz com o curso da doença, que é muito significativo, pois ele altera completamente o curso da doença, permitindo que você tenha uma vida completamente normal, onde você vai poder escolher a profissão que quiser, fazer o que você quiser relacionado a sua vida social, ter quantos filhos quiser, mas isso também deve ser uma decisão compartilhada e acompanhada pelo seu hepatologista.

A partir do momento que você decide seguir o tratamento com aderência que a gente recomenda, você vai ter uma vida normal, sem nem lembrar que você tem hepatite autoimune.

O conteúdo foi esclarecedor? Se tiver alguma outra dúvida, deixe um comentário!

Dr. Marcos Paulo Gouveia de Oliveira | Hepatogastro

Dra Nathalia Mota de Faria Gomes

CRM: 186069 | RQE : 97917 - Hepatologia
A Dra Nathalia é especializada em hepatologia, com mestrado em doença hepática autoimune pela UNIFESP e título de especialista pela sociedade Brasileira de Hepatologia.

Compartilhe nas redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

teste

Entendendo a importância dos exames de sangue: o que os resultados podem revelar sobre a saúde do fígado

27/06/2024
Os exames de sangue são cruciais para avaliar o fígado, detectando precocemente problemas como hepatite e cirrose. Entenda a importância desses exames, os tipos específicos para o fígado e como manter este órgão saudável com uma dieta equilibrada e hábitos saudáveis. Entenda mais sobre esse assunto lendo o texto abaixo! Os exames de sangue são […]
Leia mais

É possível uma pessoa magra ter esteatose hepática?

21/05/2024
A Esteatose Hepática, também conhecida como fígado gorduroso, é uma condição em que há acúmulo excessivo de gordura nas células do fígado. Esta condição pode ser assintomática, mas quando não tratada, pode levar a complicações sérias.  No post de hoje, falaremos sobre a relação entre a Esteatose Hepática e os aspectos metabólicos do organismo humano. […]
Leia mais

Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Clínica Hepatogastro © 2024 Direitos reservados Atualizado em: 31/07/2023
magnifiercross