Clínica Hepatogastro

Esôfago de Barrett: existem chances de evoluir para câncer esofágico?

Por Dr. Marcos Paulo Gouveia de Oliveira21/06/2023
Tempo de leitura: 3 minutos
Por Dr. Marcos Paulo Gouveia de Oliveira
21/06/23
Sumário

Esôfago de Barrett é uma doença crônica que ocorre nos tecidos que revestem o esôfago.. Em outras palavras, é uma importante inflamação causada pelo o retorno do ácido do estômago devido à Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE). 

Esofago De Barrett Existem Chances De Evoluir Para Cancer Esofagiconbsp Blog
Esôfago De Barrett: Existem Chances De Evoluir Para Câncer Esofágico? 2

Muitos questionam se é possível que essa doença evolua para um câncer esofágico. Falaremos um pouco mais sobre o assunto no artigo de hoje. Acompanhe a seguir!

Características do Esôfago de Barrett

Conforme dissemos, o esôfago de Barrett é uma alteração que ocorre no epitélio, isto é, a camada que reveste a parte interna do esôfago

Em geral, as lesões responsáveis pelo esôfago de Barrett acontecem por conta do contato contínuo e a longo prazo dos tecidos do esôfago com o conteúdo estomacal (ácidos produzidos pelo órgão), gerando a doença.

Quais as causas do esôfago de Barrett?

A principal causa do esôfago de Barrett é a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) que ocorre quando o conteúdo ácido passa do estômago para o esôfago por muito tempo. 

Por não apresentar a mesma proteção das paredes gástricas, a mucosa do esofágica acaba sofrendo lesões devido ao contato com a ácido.

A obesidade, o acúmulo de gordura visceral (abdominal) e outros fatores como a genética, alimentação e tabagismo também estão relacionados ao refluxo

Esôfago de Barret apresenta sintomas?

A alteração da mucosa que caracteriza o Barret, é praticamente assintomatia. Geralmente, os sintomas são atribuídos ao refluxo gastroesofágico, sendo eles:

  • Enjoo;
  • Sensação de queimação;
  • Azia;
  • Gosto amargo na boca;
  • Arrotos;
  • Vômito.

Como funciona o diagnóstico? 

Para detectar o esôfago de Barrett é necessário um exame específico. Neste caso, é fundamental a realização de endoscopia

Durante o procedimento, é inserido um tubo pela cavidade oral, permitindo a visualização completa do revestimento do esôfago. Também é muito importante que seja obtida uma pequena amostra de tecido para realização de biópsia.

No microscópio, o médico patologista pode avaliar se existe a metaplasia da mucosa esofágica, dado mais importante para o diagnóstico definitivo dessa doença. 

É possível virar um câncer de esôfago? 

As chances de que a doença evolua para um câncer de esôfago são pequenas, porém o refluxo e o Barret são os principais fatores de risco para o desenvolvimento do tumor na porção distal do órgão. 

Quanto mais agressão, maior a chance de ocorrerem mutações, displasias e neoplasias na mucosa do esôfago, principalmente o adenocarcinoma. Desta forma, ocorre uma maior incidência do câncer com o aumento do tempo da doença, principalmente se não acompanhado da maneira correta.

Para finalizar, é importante lembrar que, quanto antes a doença for diagnosticada e o tratamento adequado for realizado, a probabilidade de desenvolver o câncer de esôfago será menor e até mesmo, curar o esôfago de Barrett.

Conseguimos esclarecer as suas dúvidas com o conteúdo de hoje? Deixe um comentário e compartilhe!

Dr. Marcos Paulo Gouveia de Oliveira | Hepatogastro

Dr. Marcos Paulo Gouveia de Oliveira

CRM: 174843 | RQE : 94248 - Cirurgia do aparelho digestivo
O Dr. Marcos Gouveia tem foco em Cirurgia Bariátrica e Metabólica, além de procedimentos minimamente invasivos do estômago, intestino e de hérnias da parede abdominal.
Acessar currículo

Compartilhe nas redes sociais:

TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

teste

Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Clínica Hepatogastro © 2024 Direitos reservados
Última atualização: 23/05/2024 às 15:27
magnifiercross