Clínica Hepatogastro

Colecistectomia robótica: entenda como funciona o procedimento

Atualizado em 30/07/2021
Tempo de leitura: 3 min.
Por Dr. Paolo Rogério de Oliveira Salvalaggio
 | 
21/10/20
A Imagem Mostra Uma Sala De Cirurgia Robótica Com 2 Médicos Manipulando A Cirurgia Através De Computadores, E O Robô Manipulando Instrumentos No Paciente Que Está Deitada Em Uma Maca.
Colecistectomia Robótica: Entenda Como Funciona O Procedimento 2

Inicialmente, a colecistectomia, cirurgia para retirada da vesícula, era realizada por meio da técnica aberta. Nesse caso, era feito um corte no abdômen do paciente para acessar a área a ser operada. Numa evolução da técnica cirúrgica, há cerca de trinta anos, passou a ser adotada a laparoscopia.

Esse foi um avanço da colecistectomia, uma vez que não havia necessidade de fazer grandes cortes. O local era da cirurgia é visualizado com o auxílio de uma câmera, e isso diminui bastante a agressividade da cirurgia, seus riscos e a recuperação também foi facilitada.

Porém, foi possível evoluir um pouco mais, e agora a colecistectomia robótica é uma realidade, tornando o procedimento ainda menos invasivo, mais seguro para o paciente, preciso e com resultados estéticos muito bons. Neste artigo falaremos sobre esse assunto para que você conheça a cirurgia para retirada da vesícula feita com auxílio de robôs. Acompanhe!

O que é a colecistectomia robótica?

A laparoscopia é uma técnica amplamente recomendada para a cirurgia de retirada da vesícula em função de ser um procedimento menos invasivo do que a técnica aberta. Porém, como a tecnologia não para de evoluir, agora também está disponível a colecistectomia robótica.

Nessa técnica o cirurgião não manuseia de forma direta os instrumentos cirúrgicos. Na verdade, por meio de um uma mesa de controle ele opera um equipamento robótico que contém todo o instrumental que será utilizado.

A operação é feita pelo robô que é controlado pelo cirurgião. Assim, o cirurgião tem o auxílio de máquinas com tecnologia de ponta, que dão mais precisão para os seus movimentos, evitam tremores, excesso de pressão e outros fatores característicos das cirurgias realizadas diretamente pelo profissional.

Como esse procedimento é realizado?

A preparação do paciente para a colecistectomia robótica acontece da mesma forma como nas cirurgias convencionais. Também é necessário estar em ambiente hospitalar, com o paciente sob anestesia geral. Mas o modo como a técnica será aplicada é diferente.

Com o paciente devidamente preparado, é posicionada ao lado dele uma máquina equipada com os instrumentos que serão utilizados durante a cirurgia e também uma pequena câmera. É feita uma incisão mínima por onde esses instrumentos serão posicionados.

O cirurgião controla todos esses equipamentos em sua mesa, permanecendo em uma posição ergonômica e confortável que evita o cansaço e facilita os seus movimentos. Por meio de uma tela de alta definição ele visualiza as estruturas que está operando. Essas imagens também são transmitidas para toda a equipe.

O acesso pode ser feito através da incisão umbilical, por isso, o paciente não fica com cicatrizes na região abdominal, tornando o resultado da cirurgia mais satisfatório esteticamente. Porém, seus riscos também são muito menores e o conforto pós-operatório é maior.

Isso acontece porque esses equipamentos que o cirurgião opera são pré-programados por ele, especificamente para realização dessa cirurgia. Sendo assim, a colecistectomia robótica se torna muito mais segura.

Por meio dessa programação é possível definir, por exemplo, a pressão que pode ser exercida sobre os tecidos, evitando lesões. Além disso, o equipamento filtra possíveis tremores, movimentos inadequados ou bruscos, prevenindo erros durante o procedimento.

Quais são as vantagens da colecistectomia robótica?

Como você pôde perceber, na colecistectomia robótica é feita a junção do conhecimento e da experiência do cirurgião aos recursos tecnológicos. Os equipamentos utilizados complementam o trabalho do profissional para que ele seja ainda mais preciso.

Com isso, as vantagens alcançadas contemplam tanto o cirurgião quando o paciente, sendo:

Para o paciente

  • maior segurança;
  • redução dos riscos;
  • menos complicações;
  • pós-operatório mais tranquilo;
  • menos dores e desconfortos na recuperação;
  • melhor resultado estético;
  • retorno mais rápido às atividades.

Para o cirurgião

  • posição de trabalho mais confortável;
  • menos cansaço;
  • menor pressão e estresse;
  • mais segurança nos movimentos;
  • maior precisão técnica.

A colecistectomia robótica, portanto, é uma opção para retirada da vesícula que traz benefícios maiores para o paciente em comparação com a técnica laparoscópica e aberta. Além disso, facilita e favorece o trabalho do cirurgião, possibilitando que ele realize um procedimento de maior qualidade e com mais segurança para seus pacientes.

Sobre o(a) Autor(a)
O Dr. Paolo Rogério de Oliveira Salvalaggio é Mestre e Doutor em Cirurgia. Pós-doutorado e Fellow nos Estados Unidos. Especialista em Cirurgia Digestiva e Videocirurgia. Atua como cirurgião do aparelho digestivo, com ênfase em cirurgia de fígado, pâncreas e vias biliares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 | 08 / 06 / 22
Quando existe o acúmulo de colesterol ou bilirrubina, ocorre a colelitíase, caracterizada como a presença de pedra na vesícula. Saiba como tratar e prevenir!
Ler Mais
 | 10 / 06 / 21
Você sabe quais são os sintomas de pedra na vesícula? Confira aqueles que se manifestam com mais recorrência para que possa monitorar a sua saúde.
Ler Mais
1 2 3 5

Clínica Hepatogastro© 2022 Direitos Reservados – Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Última atualização: 29/06/2022 às 16:28
Agende sua Consulta
magnifiercross