Clínica Hepatogastro

Vesícula biliar: você sabe o papel dela no seu organismo?

Por Dr. Marcos Paulo Gouveia de Oliveira09/03/2023
Tempo de leitura: 3 minutos
Por Dr. Marcos Paulo Gouveia de Oliveira
09/03/23
Sumário

A função da vesícula biliar é servir como reservatório da bile, substância produzida pelo fígado e que auxilia na digestão das gorduras ingeridas por meio da alimentação. Ela também libera a bile no intestino delgado.

Vesicula Biliar Voce Sabe O Papel Dela No Seu Organismo Hepatogastro Bg
Vesícula Biliar: Você Sabe O Papel Dela No Seu Organismo? 2

Você também já deve ter ouvido falar de alguém que teve que passar por um procedimento cirúrgico razoavelmente comum, a colecistectomia. Essa cirurgia consiste na retirada da vesícula biliar doente.

Mas afinal, qual é a função desse pequeno órgão do corpo? O que pode fazer com que ela fique doente a ponto de ser retirada do organismo? Como essas dúvidas são frequentes, preparamos este material para trazer as respostas.

Continue lendo para entender qual é o papel da vesícula biliar, as doenças que podem acometer esse órgão e em quais situações é recomendado fazer a colecistectomia.

Qual é a função da vesícula biliar?

Para digerir um alimento, o organismo libera a bile no intestino delgado para dar início ao processo de digestão. Essa substância atua como uma espécie de detergente natural do corpo humano, e quem produz e concentra a bile é o fígado, para que as células de gordura possam ser quebradas.

O principal componente da bile é a bilirrubina, um pigmento derivado da degradação dos glóbulos vermelhos do sangue, processo realizado pelo baço. Ela também contém sais biliares e colesterol, ambos vindos do fígado.

A vesícula biliar funciona como um reservatório para armazenamento da bile. Esse pequeno órgão fica localizado abaixo do lobo direito do fígado e se conecta ao duodeno. Durante o processo de digestão, a vesícula biliar faz a liberação da bile para que as gorduras  possam ser digeridas adequadamente.

O que faz a vesícula biliar adoecer?

A vesícula pode ficar doente quando ocorre algum desequilíbrio na produção da bile, alterando as concentrações dos seus componentes. Esse descontrole faz com que cálculos, ou pedras, se formem, causando a litíase biliar. Essas pedras são constituídas principalmente por cálcio e colesterol.

Quando isso acontece, a vesícula pode ficar inflamada, provocando dores intensas, em especial após as refeições. Também pode acontecer de as pedras da vesícula causarem obstrução nos ductos biliares, impedindo a passagem da bile para o intestino delgado. Isso também provoca cólicas intensas e icterícia (amarelamento da esclera ocular e da pele), além de causar náuseas, gases e vômitos.

Quando é preciso fazer a colecistectomia?

A colecistectomia é recomendada quando o paciente é diagnosticado com pedras na vesícula ou no ducto biliar. Esse é o tratamento padrão para a litíase biliar, já que resolve de forma definitiva o problema.

Entretanto, esse procedimento cirúrgico também é recomendado em outras situações, como em casos de inflamações, pólipos e tumores na vesícula. Além disso, é importante saber que as pedras na vesícula podem gerar ainda outras complicações, desencadeando, por exemplo, a pancreatite, um quadro bastante perigoso para a saúde.

Por isso, quando há problemas com esse pequeno órgão e ele fica doente, a recomendação principal é a sua remoção completa pela colecistectomia, o que não gera grandes impactos para a saúde.

A retirada da vesícula causa complicações para a saúde?

Como explicamos, a vesícula biliar funciona apenas como um reservatório para a bile. Ela não é responsável pela produção dessa substância, por isso, é possível viver bem e com saúde após a retirada desse pequeno órgão.

O fígado continuará produzindo a bile da mesma forma como antes da colecistectomia. A diferença é que não haverá mais o armazenamento dela, sendo que a bile será liberada de forma direta no intestino.

Com o passar do tempo, o organismo consegue se adaptar à retirada da vesícula. Pode acontecer de se formar uma pequena bolsa no canal que faz a ligação natural entre o fígado e o intestino delgado, e ela acaba atuando como um reservatório de bile, assim como a vesícula era.

Entretanto, nesse processo de adaptação o organismo pode sentir um pouco mais de dificuldade para digerir os alimentos gordurosos. Sendo assim, é interessante reinserir as gorduras aos poucos para evitar sintomas como gases, diarreia e desconfortos abdominais. Essas manifestações tendem a desaparecer após a adaptação do organismo.

A vesícula biliar tem um papel importante porque participa do processo de digestão dos alimentos. Mesmo assim, ela não é indispensável e pode ser retirada sem grandes prejuízos para a saúde. Na verdade, essa remoção traz benefícios quando o pequeno órgão está doente, pois evita complicações.

Dr. Marcos Paulo Gouveia de Oliveira | Hepatogastro

Dr. Marcos Paulo Gouveia de Oliveira

CRM: 174843 | RQE : 94248 - Cirurgia do aparelho digestivo
O Dr. Marcos Gouveia tem foco em Cirurgia Bariátrica e Metabólica, além de procedimentos minimamente invasivos do estômago, intestino e de hérnias da parede abdominal.
Acessar currículo

Compartilhe nas redes sociais:

TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

teste

Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Clínica Hepatogastro © 2024 Direitos reservados
Última atualização: 23/05/2024 às 15:27
magnifiercross