Dr. Paolo Rogério de Oliveira Salvalaggio
 Cv Lattes   Google Scholar
CRM: 143673 SP
Atualizado em 10/08/2020 Atualizado em 10/08/2020

O que saber sobre a Obesidade?

Segundo dados divulgados em março pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), mais da metade dos brasileiros está com excesso de peso. O sobrepeso é maior em mulheres (59,8%) do que em homens (57,3%). Quanto à obesidade o problema é o mesmo: 25,2% das mulheres adultas do país estão obesas contra 17,5% dos homens. Afinal, o que preciso saber sobre esse problema? Confira em nosso post!

 

O que consiste obesidade?

A rigor, a obesidade nada mais é do que um desequilíbrio entre a quantidade de calorias consumidas e gastas por um corpo. Ou seja, ao mesmo tempo que aumenta a ingestão de alimentos com altos índices calóricos, cresce o número de pessoas cujos estilos de vida impedem que essas calorias sejam queimadas.

 

Obesidade não é tudo igual!

Conforme a magnitude do excesso de peso pode-se, de acordo com o IMC, classificar o grau de obesidade do paciente em: obesidade leve (classe 1 – IMC 30 a 34,9 kg/m2), moderada (classe 2 – IMC 35 a 39,9 kg/m2) e grave ou mórbida (classe 3 – IMC ≥ 40 kg/m2). Essa classificação é importante na escolha do tipo de tratamento, quando deve ser clínico ou cirúrgico.

 

Distribuição geográfica dos obesos no mundo

Os maiores índices de obesidade são verificados nos países com maior índice de desenvolvimento humano do planeta, com destaque para os Estados Unidos. Lá, 40% das mulheres e 35% dos homens são considerados obesos.

 

A ligação entre obesidade e fertilidade

De acordo com uma pesquisa feita pelos Institutos Nacionais de Saúde (National Institutes of Health, NIH), o excesso de peso reduz as chances de uma mulher engravidar. O estudo relacionou a obesidade a um aumento no número de norte-americanas com menos de 25 anos com problemas de fertilidade.

 

Qual a melhor forma de prevenir esse mal?

A prevenção contra a obesidade passa pela conscientização da importância da atividade física e da alimentação adequada. O estilo de vida sedentário, as refeições com poucos vegetais e frutas, além do excesso de alimentos ricos em gordura e açúcar precipitam o aumento do número pessoas obesas, em todas as faixas etárias, inclusive crianças.

× Agendar Consulta.