Dr. Paolo Rogério de Oliveira Salvalaggio
 Cv Lattes   Google Scholar
CRM: 143673 SP
Atualizado em 10/08/2020 Atualizado em 10/08/2020

O emocional pode gerar Problemas Intestinais!

Todos os sentimentos produzem alterações em nosso corpo e o estresse não é exceção. Em situação de estresse, o ritmo cardíaco pode subir, a pressão arterial pode aumentar e o sangue é desviado de sua rota, indo para os braços, pernas e cabeça para rapidamente pensar, lutar ou fugir.

Isto é o esperado como sendo resposta temporária para ajudar na sobrevivência, porém quando o estresse se torna crônico, como é o caso de milhões de pessoas que estão lendo este artigo, ele pode trair a saúde, causando danos à saúde intestinal e digestiva. Saiba mais em nosso post!

 

Sistema digestivo e cérebro são mais ligados do que você pensa!

O cérebro tem um efeito direto sobre o estômago, como o fato de pensarmos em comer pode libertar ácidos no estômago antes das refeições chegarem lá, por exemplo. E esta ligação pode acontecer nos dois sentidos. Em outras palavras, um intestino perturbado pode enviar sinais para o cérebro, tal como o cérebro perturbado pode enviar sinais para o intestino. Portanto, estômago ou intestinos perturbados podem ser a causa ou o resultado da ansiedade, de stress, ou de depressão. Isto porque o cérebro e o sistema gastrointestinal estão intimamente ligados – tão intimamente que deve ser visto como um sistema.

 

Problemas que o estresse pode causar no intestino

A resposta ao estresse causa uma série de eventos prejudiciais ao intestino, incluindo:

  • Redução na absorção de nutrientes
  • Redução da oxigenação do intestino
  • Em torno de quatro vezes menos fluxo sanguíneo ao sistema digestivo levando à redução do metabolismo
  • Redução da produção enzimática no intestino – em torno de 20.000 vezes!

 

Como evitar que esse tipo de problema se repita?

Para ter certeza que a presença desses problemas gastrointestinais tem a ver com o estresse vivido em um terminado momento, só consultando um médico gastroenterologista mesmo para o diagnóstico correto. Além de passar o tratamento adequado, a indicação, com certeza, será para você por o “pé no freio” e buscar alternativas para desacelerar o ritmo corrido do dia a dia.

Você já passou por isso? Precisa de ajuda? Marque uma consulta com um de nossos gastroenterologistas e deixe de sofrer!

× Agendar Consulta.