Dr. Paolo Rogério de Oliveira Salvalaggio
 Cv Lattes   Google Scholar
Atualizado em 10/12/2020

Cirurgia de hérnia umbilical: entenda o procedimento

A herniorrafia, ou cirurgia de hérnia umbilical, é indicada para as hérnias que se formam na região do umbigo. Pode ser realizada por meio da técnica aberta ou por videolaparoscopia, sendo a única forma de cura desse problema.

A imagem mostra um doutor escrevendo em uma prancheta e o paciente segurando as mão.

A hérnia umbilical ocorre por uma falha na musculatura local. Assim, tecidos da cavidade abdominal extravasam formando uma protuberância, saliência ou bolinha que pode ser percebida na superfície da pele da região do umbigo.

Esse tipo de hérnia provoca dor na região ao redor do umbigo, náuseas e vômitos, desconfortos que se manifestam principalmente quando a pessoa realiza alguma esforço, como levantar um peso. Suas causas em pessoas adultas estão relacionadas ao aumento da pressão abdominal, e a única forma de tratamento é cirúrgica.

Neste artigo explicaremos como funciona a cirurgia de hérnia umbilical apresentando suas técnicas, pós-operatório e riscos. Continue lendo e confira:

1. Como a cirurgia de hérnia umbilical é realizada?
1.1. Herniorrafia por técnica aberta
1.2. Herniorrafia por videolaparoscopia
2. O que esperar do pós-operatório?
3. A cirurgia de hérnia umbilical oferece algum risco?

Como a cirurgia de hérnia umbilical é realizada?

Como explicamos, a hérnia umbilical se forma quando acontece um aumento da pressão abdominal, como ao carregar excesso de peso. Esse fator combinado a uma falha na musculatura da parede abdominal faz com que uma porção do intestino grosso ou delgado, ou mesmo outro tecido, extravase por essa falha formando uma protuberância.

Sendo assim, a herniorrafia, ou seja, a cirurgia de hérnia umbilical, é realizada com o intuito de reposicionar os tecidos e corrigir essa falha. Ela pode ser feita principalmente por meio de duas técnicas diferentes, sendo aberta e a por laparoscopia.

Em ambos os casos o paciente precisa realizar exames pré-operatórios para conhecer as suas condições de saúde em geral. O procedimento é realizado em ambiente hospitalar com o paciente sob anestesia, porém, a realização da cirurgia é diferente para cada uma das técnicas.

Herniorrafia por técnica aberta

Na cirurgia de hérnia umbilical feita com a técnica aberta o procedimento funciona do modo convencional. O cirurgião faz um corte no abdômen do paciente para ter acesso aos tecidos que precisam ser operados.

Faz a operação de forma direta e com visualização a olho nu, reposicionando o intestino ou tecido que extravasou e corrigindo a musculatura abdominal para fechar essa passagem. Em alguns casos pode acrescentar um reforço para ela, como uma rede específica chamada tela, com o objetivo de impedir a formação de uma nova hérnia umbilical.

Herniorrafia por videolaparoscopia

A laparoscopia é classificada como uma das técnicas minimamente invasivas, por isso, torna a cirurgia de hérnia abdominal um procedimento mais simples e seguro para o paciente. Isso porque, nesse caso, não há necessidade de fazer um grande corte na região abdominal.

O cirurgião utiliza o laparoscópio, um equipamento que conta com uma micro câmera para favorecer a visualização das estruturas abdominais; as imagens são transmitidas para um monitor. São feitos cerca de três pequenos orifícios no abdômen para inserir essa câmera e os instrumentos cirúrgicos.

Como essas incisões são muito pequenas, o risco de lesão nos tecidos saudáveis é menor. A recuperação do paciente acontece mais rápido e o pós-operatório é mais tranquilo. Além disso, existe um ganho estético porque as cicatrizes são pequenas.

Geralmente se opta por realizar a cirurgia por laparoscopia nas hernias umbilicais de maior tamanho ou naquelas que falharam um tratamento convencional prévio.

O que esperar do pós-operatório?

O tempo de internação hospitalar do paciente varia de 12 a 24 horas, o que depende das suas condições clínicas e da técnica adotada.

Ao retornar para casa o paciente deve manter repouso parcial evitando, principalmente, fazer grandes esforços, como levantar pesos. Esse cuidado deve se estender por alguns meses. No primeiro, o ideal é não levantar mais do que 5 kg, e 3 meses depois da cirurgia, no máximo 10Kg, mas somente o médico é quem pode dar uma recomendação precisa para cada paciente.

É importante ter um cuidado especial com o local que foi operado, mantendo a boa higiene a fim de garantir uma cicatrização saudável. Se houver necessidade de tossir ou espirrar, é recomendado proteger levemente os pontos com a mão ou um travesseiro, para ele evitar pressão no local.

Quanto à alimentação, não há grandes restrições ou modificações decorrentes desta cirurgia. Sugere-se alimentação saudável e retorno progressivo a dieta que o cliente estava habituado antes da cirurgia.

O retorno a maioria das atividades geralmente acontece em três ou cinco dias. Para atividades que aumentem a pressão na barriga, mas alguns pacientes podem precisar de mais tempo, de até oito semanas. Isso também depende da técnica adotada e da resposta do organismo de cada pessoa.

A cirurgia de hérnia umbilical oferece algum risco?

Como acontece com outros procedimentos cirúrgicos, a cirurgia de hérnia abdominal oferece risco de inflamação ou infecção no local operado. Também podem se manifestar dores, e existe o risco de lesão nos nervos durante o procedimento, daí a importância de ser realizado por um profissional experiente e com técnicas minimamente invasivas.

No mais, esse procedimento é considerado simples e realizado em pouco tempo, sendo necessário de 30 a 60 minutos para reposicionar os tecidos, fazer o reforço da parede abdominal e corrigir as suas falhas.

 O mais importante é procurar ajuda médica assim que perceber os primeiros sinais da hérnia umbilical. Assim, ao sentir dor abaixo do umbigo ou perceber a formação de uma protuberância ali, procure um especialista para obter um diagnóstico preciso.

0 comentários

× Agendar Consulta.