Cirurgia bariátrica, quando fazer?

A cirurgia bariátrica e metabólica, também conhecida como cirurgia da obesidade, ou redução de estômago, reúne técnicas comprovadas destinadas ao tratamento da obesidade e das doenças associadas ao excesso de gordura corporal.

Ao diminuir a cavidade estomacal, o corpo absorve menos alimentos, alterando o metabolismo, e assim, fazendo com que a pessoa perca peso de maneira mais rápida e eficaz. Esse tipo de cirurgia está ficando cada vez mais famosa, por mostrar resultados satisfatórios em questão de meses.

Quem pode fazer a cirurgia?

Para o paciente poder se submeter ao procedimento, ele deve possuir um acompanhamento médico de longo prazo, ter um histórico em impasses para perder medidas mesmo com exercícios, dietas e até mesmo remédios receitados. o Índice de massa corpórea (IMC) deve ser igual ou acima de 40 por 2 anos.

Como é feita a cirurgia, e quais as chances de infecção?

Durante a cirurgia, o estômago é diminuído, grampeado e costurado e, se houver o rompimento desses grampos, pode ocorrer um vazamento (fístula) de secreção gástrica e/ou alimento para dentro da barriga ou ainda um vazamento para a pele, levando a uma infecção. A incidência desse tipo de complicação é muito pequena, menor que 1%. Os sinais diretos caso isso ocorra são: coração acelerado, febre, diminuição da urina, pressão baixa, respiração ofegante. Fortes dores abdominais, podendo irradiar nas costas ou região pélvica também podem significar fístula. Caso esses sinais e sintomas aconteçam o paciente deve procurar com rapidez seu cirurgião bariátrico.

Existem riscos e complicações?

Os riscos da cirurgia bariátrica estão ligados principalmente à quantidade e gravidade de doenças associadas à obesidade, sendo as principais complicações:

Embolia pulmonar, que é o entupimento de um vaso sanguíneo do pulmão, causando dor intensa e dificuldade para respirar, sangramento interno no local da operação, vômitos, diarreia e fezes com sangue.

Normalmente essas complicações surgem ainda durante o período de internamento hospitalar, e são rapidamente resolvidas pela equipe médica. No entanto, dependendo da gravidade dos sintomas, pode ser necessário fazer uma nova operação para corrigir o problema.

O paciente sofre complicações nutricionais?

Além disso, é comum que após a cirurgia bariátrica os pacientes apresentem complicações nutricionais como anemia, deficiência de ácido fólico, cálcio e vitamina B12, podendo ocorrer também desnutrição nos casos mais graves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *