O que é pancreatite crônica?

O pâncreas é um órgão do aparelho digestivo responsável pela produção de substâncias que participam na digestão de proteínas, açúcares e gorduras e, também, pela produção de dois hormônios (insulina e glicagina), fundamentais na regulação dos níveis de açúcar no sangue.

A pancreatite é uma doença caracterizada por uma inflamação do pâncreas, que ocorre quando as enzimas pancreáticas normalmente utilizadas na digestão dos alimentos são liberadas no interior do próprio pâncreas, iniciando um processo de digestão do órgão.

A lesão do pâncreas nesse processo pode permitir que as enzimas saiam para o exterior e penetrem na corrente sanguínea ou na cavidade abdominal, onde provocam irritação e inflamação do revestimento da cavidade ou de outros órgãos. A pancreatite crônica é uma inflamação que se repete. Os pacientes com pancreatite crônica podem sofrer danos permanentes ao pâncreas.

Quais são as causas?

As 2 principais causas de pancreatite são a formação de cálculos biliares e alcoolismo. Representam 80-90% dos casos. A pancreatite do alcoolismo ocorre devido à ingestão de bebidas alcoólicas por muito tempo. A formação de cálculos biliares na vesícula biliar pode causar o bloqueio no ducto pancreático e o acúmulo dos sucos digestivos dentro do pâncreas.

Sintomas

A maioria das pessoas com pancreatite crônica tem dor abdominal, embora alguns não sofram dor nenhuma. A dor pode piorar quando a pessoa come ou bebe, espalhando-se para as costas ou ficando constante e debilitante. Em certos casos a dor abdominal vai embora à medida que a pancreatite progride, provavelmente porque o pâncreas não está mais fazendo enzimas digestivas. Outros sintomas incluem náusea, vômito, perda de peso e fezes gordurosas.

Diagnóstico

Os testes da função pancreática ajudam o médico a decidir se o pâncreas ainda está produzindo enzimas digestivas suficientes. Utilizando ultrassom, colangiopancreatografia endoscópica retrógrada e tomografia computadorizada, o médico pode ver problemas indicando pancreatite crônica. Tais problemas incluem calcificação do pâncreas, no qual o tecido é endurecido devido a depósitos de sais de cálcio insolúveis. Em estágios mais avançados da doença, quando ocorre diabetes e mal absorção, o médico pode pedir alguns testes de sangue, urina e fezes para ajudar a diagnosticar a pancreatite crônica e monitorar sua progressão.

Tratamento

O objetivo da terapêutica médica é aliviar a dor. O processo deve iniciar-se pela eliminação de fatores tóxicos exógenos (como o álcool), seguido pela suplementação enzimática (pancreatina) e uso criterioso de analgésicos (anti-inflamatórios não esteróides). Recomendam-se refeições com baixo teor gorduroso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *